Oncologia Clínica Florianópolis

Dr. Luiz Alberto Silveira - Oncologista Clínico / Diretor Clínico

Dr. Lucas Van de Sande Silveira - Oncologista Clínico / Diretor Técnico

Rua Dom Joaquim 885, 4ºandar

(48) 3364 1196/ (48) 99963 0335
(48) 99973 2472 |WhatsApp

A Oncologia Clínica Florianópolis oferece serviços oncológicos com excelência técnica e atendimento solidário, prezando pelo compromisso obstinado com a cura e qualidade de vida dos pacientes.

Câncer da Próstata

 

 

        Em Santa Catarina teve a expectativa de1800 casos novos de câncer da próstata. Estes valores dão um risco de 52 casos novos para 100 000 homens. Sem contar os cânceres da pele, o câncer da próstata é o sexto mais comum no mundo e o mais prevalente nos homens, com cerca de 10% do total dos cânceres, superando o câncer do pulmão. A incidência é, cerca de, seis vezes maiores nos países desenvolvidos comparados aos países em desenvolvimento. As taxas 2,5 maiores nos países desenvolvidos, tem uma razão morbidade/incidência variando de 0,13 na América do Norte a 0,80 na África. A sobrevida média mundial estimada em cinco anos é de 58%(Fonte:Instituto Nacional do Câncer – INCA).

       O câncer da próstata é considerado uma doença da terceira idade, ocorrendo, cerca de três quartos dos casos, a partir dos 65 anos. O aumento constatado pode ter sido influenciado pela pesquisa mais freqüente do PSA, no sangue. A mortalidade por câncer da próstata é relativamente baixa, dando a doença um melhor prognóstico. Alguns estudos identificam a dieta e a obesidade como fatores na origem deste câncer. Uma alimentação com base em carne vermelha, gordura animal e cálcio tem sido associada ao aumento do risco. Já uma dieta rica em vegetais, selênio, vitamina D e E, licopeno e ômega 3 tem indicado proteção contra o câncer da próstata. Um estudo da Universidade da Geórgia, nos EUA, demonstrou que a pectina (principalmente a cítrica), um tipo de fibra encontrada em frutas e hortaliças e utilizadas na fabricação de geléias, reduz o risco do câncer da próstata em 40%(publicado na Revista Glycobiology em agosto de 2007). Estudos mais aprofundados sobre a alimentação e o câncer da próstata necessitam ser realizados. Os métodos de rastreamento disponíveis como a análise do PSA no sangue não se consolidaram, na diminuição da mortalidade, o que exige precaução nas decisões terapêuticas.

 

Luiz Alberto Silveira
Oncologista Clínico

 

 

 
joomla wellnessLorem Ipsum has been the industry's standard dummy text ever since the 1500s...
Heeey, this is poll in the drop-down menu?!